São Mateus do Sul recebe o espetáculo “O Rei Louco”

A turnê faz parte do Projeto Shakespeare no Paraná, que, além das apresentações, oferece ainda debates e workshops

Por Redação 18/04/2018 - 17:56 hs
Foto: Divulgação
 São Mateus do Sul recebe o espetáculo “O Rei Louco”
Reprodução/ Internet

No próximo sábado (21), o município de São Mateus do Sul – PR recebe o espetáculo “O Rei Louco – Uma Pequena Versão de Rei Lear, de William Shakespeare”. A peça já passou por Irati e Telêmaco Borba e na sequência seguirá para Quedas do Iguaçu e Pato Branco. A turnê faz parte do Projeto Shakespeare no Paraná, que, além das apresentações, oferece ainda debates e workshops. Todas as ações são gratuitas. Ao todo serão 20 apresentações seguidas de debate, quatro em cada cidade (três para público dirigido e uma aberta) e um workshop em cada uma delas. A iniciativa é do ator e diretor Mauro Zanatta, da Ator Cômico Produções Artísticas, de Curitiba, e é voltada especialmente para alunos do ensino médio das escolas da rede pública do estado.

O projeto viabiliza uma parceria inédita entre Zanatta e o ator Ney Piacentini da Companhia do Latão de São Paulo, que foi convidado para dirigir o espetáculo. “O Mauro é um amigo de longa data, nos conhecemos há 35 anos, mas é a primeira vez que trabalhamos juntos, dirigi-lo tem sido um grande desafio e uma grande oportunidade”, conta o diretor. “Trabalhar com o Ney tem sido uma grande alegria”, retribui Zanatta. “Interpretar um personagem de Shakespeare é o sonho de todo ator, bem como levar uma obra dele ao palco. Com este projeto que tem como principal foco os adolescentes do interior do estado estamos permitindo o acesso à obra deste gênio. E quando nos aproximamos dele nos damos conta do quão universal ele é. Rei Lear dialoga muito com a atualidade”, opina.

Zanatta divide o palco com o ator Pedro Melo e eles se revezam e transitam em três registros de atuação: ora são contadores de história, ora personagens, ora arautos. “A narrativa da peça não é linear, é constantemente interrompida com inserções explicativas que contextualizam o tema. A ideia é aproximar o público, torná-lo nosso cúmplice”, explica Piacentini.

“Shakespeare é caracterizado pela liberdade e inventividade e nesta montagem  trabalhamos com o essencial e isto exige muita técnica do ator. É fundamental, neste caso, conseguir despertar o imaginário do público. Ou seja, o público tem que ver o que estamos imaginando ” relata Pedro.

Rei Lear foi escrita por volta de 1605 por um dos maiores gênios do teatro em seu período de apogeu. Trata-se de uma tragédia complexa e grandiosa que a partir de um drama familiar repercute questões sociais, políticas e metafísicas. Inspirada por antigas lendas britânicas, a obra conta a história de um rei que enlouquece após ser traído por duas de suas três filhas, às quais havia legado seu reino de maneira insensata.

A peça mostra a decadência de um rei em sua velhice que sofre as consequências de suas escolhas equivocadas por ser precipitado, arbitrário e vaidoso. Lear é um pai preso às aparências, incapaz de enxergar a adulação que o cerca. De acordo com a especialista em Shakespeare, Barbara Heliodora: “Lear torna-se responsável pela tragédia, na medida em que, abdicando, deixa como rei, de represar e manter sob controle o mal que aflora, explode e se expande. Esta peça investiga a natureza do mal em profundidade e expõe o conceito de uma ordem universal na qual o homem se integra e é responsável por suas ações. ”

A trajetória de Lear é o aprendizado pelo sofrimento e humilhação. O enredo aponta como o verdadeiro amadurecimento o indivíduo que deixa de ser primeiramente autocentrado e pensa também no outro. “As obras de Shakespeare espelham as nossas relações sociais e discutem questões profundas da existência humana. Uma das camadas deste texto nos remete à busca pelo sentido da vida”, pontua o diretor.

“Apesar de estarmos vivendo tempos difíceis, obscuros no cenário nacional e mundial, meu objetivo com este trabalho é trazer uma mensagem de esperança, de que ainda é possível viver com mais equilíbrio a partir da humildade e do amor, resgatando nossa humanidade, sem clichês”, complementa Zanatta.

Este projeto foi viabilizado com incentivo da Copel, Puma Brasil e a Alvorada Autopeças por meio do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria Estadual de Cultura do Paraná.

 

SOBRE:

Workshop O Jogo

O objetivo é compreender como a brincadeira é um elemento essencial na reintegração física e mental do indivíduo. Estimular a visão de jogo como resgate da vida em coletividade. Voltado para atores e não atores com idade mínima de 15 anos.

A Ator Cômico Produções Artísticas

Fundada em 1994 tem papel importante na formação de atores em Curitiba. Além de criar e gerir projetos e eventos culturais, atualmente produz o Curso de Comédia Mauro Zanatta, o Espaço Excêntrico e a Sexta Cínica.

 

Visite: espacoexcentrico.com.br

 

FICHA TÉCNICA:

Realização: Ator Cômico Produções Artísticas

Elenco: Mauro Zanatta e Pedro Melo

Direção: Ney Piacentini

Cenários e Figurinos: Cristine Conde
Diretora de Produção: Fabiana Ferreira

Produtor Executivo: Robinson Wilson

Produção Local: Paola Flessak

Trilha Sonora: Célio Savi

Fotografias: Elenize Dezgeniski e Robinson Wilson
Arte Gráfica: Ivana Lima

Operador de Som: Robinson Wilson

Assessoria de Imprensa: Glaucia Domingos

 

SERVIÇO:

São Mateus do Sul

Apresentação aberta e bate-papo – 21/04 (sábado) às 19h

Workshop O Jogo – para atores e não atores – 21/04 das 9h às 12h

Local: Centro Cultural CEPE / Rua Manoel Cunha Bittencourt, 2100