Chico Mineiro pede retorno dos conserveiros de estradas rurais

Vereadores debateram sobre a possibilidade de contratação legal de funcionários para manutenção das estradas

Por Redação 13/03/2018 - 14:51 hs
Foto: Assessoria de Imprensa
Chico Mineiro pede retorno dos conserveiros de estradas rurais
Vereador Chico Mineiro

Durante as explicações pessoais da sessão desta segunda-feira, 12, o vereador Chico Mineiro (PR) pediu pelo retorno dos conserveiros das estradas rurais – profissionais que faziam a manutenção de trechos das estradas de acesso a localidades do município. Segundo o vereador, atualmente pequenos reparos demandam deslocamentos de máquinas e caminhões da Secretaria Municipal de Obras, o que gera um custo elevado e maior tempo de trabalho. “Seria uma ideia para colocarmos em prática. Ver uma maneira da prefeitura ceder esse funcionário às Associações de Moradores [...]”, comentou Chico.

O vereador Edmilson Verka (PR) lembrou que, devido à Lei de Responsabilidade Fiscal, a contratação dos conserveiros, da maneira que era realizada anteriormente, tornou-se uma prática proibida. Verka sugeriu que seja realizado um estudo sobre a viabilidade legal da contratação dos funcionários e propôs que os vereadores enviem indicação ao poder executivo pedindo o retorno do trabalho dos conserveiros no interior.

Ao destacar que o serviço do conserveiro evitava que pequenos problemas se tornassem más condições de estradas, o vereador Célio Galeski (PR) lamentou que impedimentos legais tenham impedido a continuidade da prática. Galeski argumentou sobre a inviabilidade de realizar concurso público para o trabalho, tendo em vista que, para realizar a manutenção dos trechos, o conserveiro deve residir nas localidades de trabalho. “Resolver essa problemática que é a questão. Como fazer para ter os conserveiros?”, questionou.

O vereador Wilmar Sudoski (PSD) também falou a respeito dos empecilhos legais para a contratação dos funcionários e relatou que, para manter as estradas conservadas, uma ideia é destinar uma pequena equipe, com material exclusivo para fazer os pequenos reparos. Já o vereador Paulo Glinski (PSD), ao ponderar que a forma de contratação utilizada anteriormente também onerava as associações – que tinham de pagar encargos e demais despesas -, sugeriu que o serviço ocorra de forma terceirizada ou por meio de uma equipe móvel.