Pesquisa da UNC aponta o empregabilidade dos refugiados venezuelanos no Brasil

Imigração desordenada constitui uma das questões mais complexas com que a comunidade internacional se defronta.

Por Redação 01/10/2020 - 16:28 hs
Foto: IMAGEM DA INTERNET
Pesquisa da UNC aponta o empregabilidade dos refugiados venezuelanos no Brasil
ILUSTRAÇÃO

A situação dos refugiados no mundo constitui uma das questões mais complexas com que a comunidade internacional se defronta. Considerada como a maior crise humanitária neste século, analisar e compreender o Direito dos Refugiados e suas especificidades motivou a acadêmica do Curso de Direito do Campus de Mafra, Aline Aparecida Grosskopf, a realizar uma pesquisa para identificar a situação da empregabilidade dos refugiados venezuelanos no Brasil.

“Eu e a professora orientadora, Mariza Schuster Bueno, optamos por estudar este tema haja vista que nos últimos anos é algo que tem crescido muito em todo o país. O foco inicial seria apenas o Planalto Norte Catarinense, mas por conta da ausência de dados fundamentais foi preciso ampliar o estudo em nível nacional, mantendo o foco nas questões referentes à empregabilidade”, explica Aline.

Com os estudos, a pesquisadora identificou o aumento no número de trabalhadores informais, que acompanhou a queda do desemprego, e que mostra uma precarização nos postos de trabalho atingindo, principalmente, populações mais vulneráveis. “Percebemos que a inserção de pessoas em situação de refúgio no mercado de trabalho brasileiro vem sendo cada vez maior”, observa. Os refugiados que vivem no Brasil, mais especificamente em Santa Catarina, têm escolaridade acima da média brasileira, mas ficam desempregados por causa das dificuldades que encontram ao revalidar seu diploma no país.

Outro ponto identificado no estudo refere-se ao preconceito em relação aos refugiados, principalmente pela mão de obra barata. “A conscientização sobre a importância da CLT entre os venezuelanos é fundamental,  bem como ações que auxiliem na inserção da população em situação de refúgio no mercado nacional, a exemplo do Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados”.

O estudo de Aline é fruto do projeto de Pesquisa realizado no Programa Bolsa Mérito UnC lançado pela instituição com o objetivo de instigar a promoção da pesquisa e o perfil pesquisador entre os acadêmicos com a possibilidade de bolsas de até 30% no valor das mensalidades.  “A experiência que a Universidade do Contestado me proporcionou foi única e imprescindível para meus estudos. A Bolsa por Mérito trouxe entusiasmo e amor pela pesquisa, que é algo fundamental na vida acadêmica. Gratidão enorme à universidade”, destaca Aline.

A reitora Solange Sprandel da Silva observa que a UnC tem como propósito apostar no acadêmico que consegue fazer a diferença no ato de aprender, no ato de ensinar, e no ato de propor pesquisas que possam contribuir com o desenvolvimento da sociedade.