Poema - Levei meu amor ao silêncio

Por Adriana Bueno de Oliveira 25/06/2020 - 08:51 hs

Enquanto o ser amado caminha,

Ao lado dele caminho eu, em silêncio.

Não posso ser seus olhos e nem tirar o véu

Que lhe impede de ver o que vejo e o que sei.

 

Sou silêncio e presença.

Minhas ações são feitas na consciência

E nas palavras que dão recado do infinito,

Com os olhos fixos no invisível.

 

Estamos aqui, mas não somos daqui,

E  por ele vim, só para o amar.

Vim para cá já pronta para isso,

Refletindo nele a luz que nele há.

 

Aprendo com maestria da vida

Que nem todos sabem o que o outro sabe,

E que no amor isto é uma arte doída, mas aprendida

No fogo que arde e queima, o qual transforma em ouro

A ausência física do ser amado ao seu lado.

 

Um dia olhei para o Criador e falei:

- Por que me destes, Tu, um coração tão pequeno,

e um amor tão grande, que transborda por todo o meu ser?

Por que não vens, Tu, então, esvazia-me de mim

e toma posse do que é Teu?

E então Ele me olhou, com o mesmo olhar pelo qual eu O amei,

e me disse:

- Não desista de Mim!