Aguiar deu pique para Leoberto

Aguiar deu pique para Leoberto

*Com a desistência da reeleição pelo deputado, estrada fica pavimentada para Leoberto.

Por Paulo Ricardo Ferreira 02/08/2018 - 20:12 hs
Aguiar deu pique para Leoberto
Leoberto Weinert (MDB)

 

Na tarde desta quinta-feira, 02, o atual Deputado Estadual Antônio Aguiar (PSD) pegou muita gente de surpresa ao anunciar que não mais concorrerá ao cargo nas eleições deste ano.  Em um comunicado postado em redes sociais, afirmou que não tentará a reeleição e que amadureceu “a ideia com a perspectiva de focar” seu “tempo para outro momento” de sua vida. Irá, desta vez, apoiar Pike, o vice do Beto (Passos) na corrida pela ALESC – Assembléia Legislativa Catarinense.

                Sem sombra de dúvidas é Leoberto Weinert (MDB) quem leva a melhor com toda história.

                Por mais que tivesse brigado com sua base eleitoral, Aguiar é figura conhecida, carismática em setores específicos da sociedade, e que recebia crédito por várias ações realizadas na região. Poderia ter uma queda em sua votação devido ao desgaste natural do mandato, mas ainda assim teria uma boa parcela do eleitorado que nele depositaria sua confiança.

                Sem Aguiar, o eleitorado terá de dedicar seu entusiasmo a outro candidato e a transferência deve ocorrer em massa para Weinert. Primeiro porque o ex-prefeito de Canoinhas é uma das lideranças mais bem quistas da cidade, segundo, porque o nome ainda é fresco na cabeça do eleitorado pelo trabalho desenvolvido enquanto esteve à frente do executivo municipal, e terceiro, mas não menos importante, é que lá traz (antes das  insídias que causaram o racha no, naquela época, PMDB Canoinhense) Weinert e Aguiar andaram juntos. Mesmo que o atual deputado tenha decidido trocar de sigla, não correu uma nova eleição para que o seu eleitorado se habituasse a um novo número.

                Já Renato Pike (PR), deve receber aval do partido para concorrer como Deputado Estadual, mas terá um caminho conturbadíssimo para trilhar. O PR não tem uma bancada expressiva na ALESC, e mesmo que o Canoinhense faça uma votação significativa na região, pode não encabeçar a legenda do partido.

                No PR, apesar de exímio articulador que atraiu para si importantes vereadores e votos que garantiram a eleição dele e seu prefeito na última eleição, Pike vive no ostracismo da elite partidária estadual. É um bom cabo eleitoral, mas ainda não teve o destaque necessário para receber as bênçãos de outras praças – e diga-se de passagem que o PR não pode abrir mão de nenhum candidato em nenhum canto de Santa Catarina, sob pena de ficar sem ninguém na Assembleia Legilativa - .

Em Canoinhas é vice de Beto Passos, a estrela popular a brilhar da cadeira do executivo. Do Aguiar, é amigo. Na região é cacique de um partido que até chegou a eleger um prefeito, mas que rapidamente foi perdido para uma sigla mais expressiva. Trocando em miúdos, terá de quebrar muita cabeça para fortalecer sua campanha.

                De forma alguma quero que o leitor pense que desacredito no potencial de Pike. Pelo contrário. Há alguns anos poucas pessoas sabiam da existência de Renato, que provou ser rápido no crescimento de popularidade na vida pública. Apesar de novo, é bom na velha política: sabe agradar para ser agradado, sabe cobrar o que imagina ser seu, sabe apoiar e também sabe “não fazer questão”, quando assim julga necessário. É inegável, porém, que terá de contar com a transferência de votos de Aguiar e do Próprio prefeito Beto Passos para alcançar a vaga estadual. E é justamente aí que o angu pode ter caroço.

                Será que o eleitorado que Aguiar conquistou aqui vai se sentir confortável, em antes de apostar em Leoberto, endossar Pike? Será que o eleitorado que Aguiar conquistou fora daqui vai se sentir confortável em apoiar um forasteiro desconhecido? Será que o eleitor do Beto Passos realmente observou que era uma dupla que concorria a eleição municipal em 2016 e estará disposto a dobrar a aposta para o pleito de deputado? São questões em aberto.

                Da forma que o cenário está hoje (02/08), os anúncios só serviram para dar mais pique à campanha de Leoberto Weinert, que de arrancada tem Mauro Mariani e Carlos Chiodini segurando em suas mãos.

 

* ESTE É UM ARTIGO DE OPINIÃO