Temer, Dilma, Lula e o caos institucional

Publicada originalmente nos Jornais Ótimo e Diário do Planalto

Por Paulo Ricardo Ferreira 15/07/2017 - 13:28 hs
Temer, Dilma, Lula e o caos institucional
ILUSTRAÇÃO

Os últimos três presidentes do Brasil, representados nesta foto, na posse do primeiro mandato de Dilma Rousseff (PT), não poderiam imaginar o tamanho da “marolinha” prenunciada por Lula, anos antes. Ruim de matemática ou com uma óptica completamente fora do contexto da realidade do Brasil, o ex-presidente, ex-sindicalista, ex-metalúrgico errou ao avaliar a crise econômica quando ainda era presidente. Errou tão feio que a instabilidade de mercado se perpetuou pelo governo Dilma, bagunçou a base no congresso, levou a crise política e num efeito dominó vem derrubando a pouca credibilidade que o sistema político do Brasil ainda tem – ou tinha. Já estamos no 2º ano de Temer e se quer conseguimos ver alguma coisa dentro do túnel, quiçá uma saída. Esta semana foi prova disso. Em menos de 3 dias uma reforma foi aprovada de maneira doentia pelo Senado Federal que não foi capaz de fazer nenhuma revisão ao texto, o deixando a mercê da sorte em  questões bem polêmicas; Assistiu-se um cambalacho na comissão que analisa a denúncia da prática de corrupção pelo atual presidente; e por fim, um símbolo da política do jeitinho foi condenado a prisão. Ah, Brasil. O balaio é o mesmo e os gatos, ferozes, tentam se tornar leões. Não comemore a prisão de Lula, nem ache que a justiça foi feita. A baixaria vista no governo nos últimos dias, faz esse tríplex parecer um barraquinho na beira do rio, prestes a ser levado pela enchente. E essa enchente, pode lavar o caminho de Temer. A condenação do ex-presidente a 9 anos e 6 meses, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, poderá beneficiar o que luta para ficar na Presidência. Isso porque a decisão do juiz Sérgio Moro deverá radicalizar ainda mais o processo político, fazendo com que os petistas aumentem os xingamentos e provocações aos que foram a favor do impeachment de Dilma Rousseff e se posicionam ao lado de Temer. Sentindo-se agredidos por serem chamados de golpistas e até de escravocratas, muitos dos que poderiam se afastar do Governo por causa das denúncias que envolvem o presidente tenderão a se reaproximar. O maior problema é que tudo parece ser, apenas, o sujo decidindo a respeito do mal lavado com fiscalização do proprietário do lamaçal, este último, título que atribuo ao PSDB e a oposição que se quer é capaz de demonstrar uma reação e apontar um caminho. Preferiu o protagonismo do fracasso ao se aliar a uma força política que repetiu, exatamente da mesma forma, tudo o que utilizou de justificativa para acusar o antecessor de irresponsável e corrupto. Falavam em projeto de poder e não consigo ver outra coisa, a não ser o mais insano dos projetos pessoais na cadeira de presidente. Chicote aos pobres, benesses aos amigos do rei, cavalaria sobre os manifestantes em Brasília, presentes caros aos deputados que se comprometam e fazer um voto de defesa ao governo, troca de deputados para colocar cartas marcadas que defendem Michel Temer, em uma comissão que tem o único objetivo de julgar exatamente esse tipo de prática que transcende qualquer limite da ética e da moral. Infelizmente, essa semana nos lembrou que Brasília é mais suja do que todos nós conseguiremos imaginar em anos. Diante do caos, vamos olhar para o belo, vamos olhar para a Marcela, talvez ela seja a única pessoa nesse país que não pode ter nada a temer.

 

Edital

A Prefeitura de Canoinhas lançou edital para contratação de Rádios para divulgação de ações do poder público municipal. Todas as rádios comerciais da cidade podem ser contempladas com os recursos, as educativas participarão de pregão eletrônico e apenas uma deverá ser vencedora. As comunitárias não estão citadas em nenhum dos editais.

Consultadas:

Todas emissoras comerciais da cidade irão participar da concorrência e dividirão um valor total. Uma das educativas sinalizou que não participará do pregão.

Exclusiva

O Deputado Jorginho Melo (PR) concedeu entrevista Exclusiva a Rádio UNC na terça-feira, 11, e afirmou que a derrocada do Governo Temer é questão de semanas. Afirmou também que Rodrigo Maia, deputado na linha de sucessão, já gosta da idéia de ser o Presidente.