Agora o Problema é da Prefeitura

Publicada originalmente nos Jornais Ótimo e Diário do Planalto

Por Paulo Ricardo Ferreira 11/06/2017 - 14:01 hs
Agora o Problema é da Prefeitura
"Um divisor de águas e de qualidade na vida de todos". Beto Passos assina convênio.

Agora o Problema é da Prefeitura

Ninguém poderia imaginar no começo do Governo Passos que a estrada da Barra Mansa poderia ficar pior do que estava, (até dava pra imaginar, mas tem gente que prefere ignorar o fato e acreditar no conto de fadas), enfim, talvez, tentando demonstrar agilidade na resolução de problemas, um convênio foi firmado entre o estado e os municípios de Canoinhas e Bela Vista do Toldo para que estas assumissem a responsabilidade de manutenção da SC 120. Está aí o resultado!

barra

Apesar de na época afirmar que o convênio marcaria “um divisor de águas e de qualidade na vida de todos. Esta coragem de assumir este compromisso é mostra de que queremos fazer a diferença porque estamos resolvendo uma luta de décadas para a comunidade”, o prefeito Beto Passos, talvez, não tivesse dimensão do problema que acabaria por herdar. Vamos aos fatos. A rodovia é uma SC porque se entende que a ligações entre cidades via estradas longas e que cruzam vários municípios deve ser de responsabilidade do Estado e não das prefeituras que já têm demandas suficientes para se preocupar. 2: como o trajeto é longo, tem de se dedicar muito tempo e recursos para manter a via em condições trafegáveis. 3: A rodovia não é pavimentada, tempo seco demais atrapalha (gera muito pó) e tempo chuvoso dispensa explicações. 4: Quando estava sob responsabilidade do Governo do Estado, já não tinha a devida manutenção pela complexidade do trajeto. 5: Como afirmava Beto Faria, ex-prefeito de Canoinhas, estradas do interior “são parecidas com a louça na pia, termina de lavar e secar e logo logo tem mais para fazer”, dizia aos colegas na prefeitura. Como a SC 120 é estadual, Faria sempre cobrou da ADR a manutenção, inclusive, quando ela chegava a essas situações caóticas (não, o desastre naquela estrada não é exclusividade do Governo Passos), mas agora, com o convênio firmado entre os municípios, o problema está lá, sentado no primeiro banco de atendimento do Gabinete do Prefeito. É dor de cabeça na certa. A reclamação vem da população: “Passageiros e alunos cruzaram o atoleiro passando pelo barranco”, diz um morador indignado com a situação; já uma mãe desabafa “da vergonha de ver que as crianças vão pra escola cheias de barro, vão estudar como daí?”, questiona. Os vereadores também fazem pressão: Camila Lima alega que deseja que a prefeitura possa garantir uma rodovia em que “os usuários de transporte público (principalmente os alunos) consigam transitar” e ainda alfineta: “não noticiem coisas as quais não serão feitas rapidamente! Fotinho no jornal não resolve nada. Os alunos de Barra Mansa estão sofrendo, assim como a população daquela localidade e de muitas outras”, ao se referir aos trabalhos divulgados pelo poder executivo. Prova de Fogo para Beto Passos. O problema das chuvas e estradas é tão gigantesco que ele se encontra numa sinuca de bico. Com 6 meses de gestão, ele ainda não havia conseguido dar manutenção na totalidade de estradas municipais do interior de Canoinhas (são mais de 2 mil quilômetros). Com a chuva, as que já haviam sido melhoradas, voltam a estaca 0. Terá que decidir o que fazer, se continuar o cronograma básico, irrita os moradores de onde a máquina já passou pela condição de hoje, se retornar, descobre aqueles mais longínquos. Some a isso os serviços acumulados na SC 120, e isso tudo, só para atender parte do eleitorado que confiou que Beto Passos seria o prefeito da Agricultura e Valorização Rural, (ele teve uma votação esmagadora no interior do município). Só que a chuva não estraga apenas as ruas do interior. Ainda há reclamações (e com razão), de estradas nos Bairros Campo D’Água Verde, Água Verde, Tricolim, Aparecida, entre outros. A cidade toca um samba com pegada de choro. A culpa de fato não é de Passos, mas como prefeito atual, a responsabilidade é. Ainda bem que o município conseguiu economizar um pouquinho de dinheiro no começo do ano, com certeza, as operações de recuperação exigirão muitos recursos e a ideia é que esse dinheiro possa ajudar na situação de emergência em que tudo se encontra. Mãos a obra então, gente!

atoleiro

Rapidinha

Fica claro que a Câmara de Vereadores de Canoinhas usa dois pesos e duas quando o assunto é ensino superior. Ao IFSC (que é público e mantido com verbas federais) os elogios, homenagens e ajudas intermináveis. À UnC, que é privada, mantida com a mensalidade de seus alunos e que atua há 40 anos na cidade, reserva as críticas, insinuações e dá combustível a boatos que não refletem a realidade da instituição.

Sílvio Dreveck

Recebi a visita do nobre deputado Silvio Dreveck (PP), presidente da Assembleia Legislativa Catarinense. Ele está entusiasmado com as realizações que tem feito e o destaque que ganhou nos últimos anos. Será candidato a deputado federal, se o partido assim o conduzir. Confessou, no entanto, que num cenário mais favorável, topa correr a vice-governador.

Em Três Barras

Babado, Confusão e Gritaria. Essa é a conclusão de alguns vereadores a respeito do que é preciso fazer para que Luis Shimoguiri dê mais atenção as demandas da Câmara. Na oposição, e até na base, tem gente se coçando pra dar o primeiro show. Vamos Aguardar. É isso, semana que vem tem mais.