30% é para agitar bandeiras?

Publicada originalmente nos Jornais Ótimo e Diário do Planalto

Por Paulo Ricardo Ferreira 09/04/2017 - 14:12 hs
30% é para agitar bandeiras?
Nas eleições foram várias acusações a respeito dos 30%.

Durante o período eleitoral muita gente criticou a campanha de Beto Faria por contar, nas ruas, com inúmeros funcionários da prefeitura que recebiam um adicional em seus salários de 30%. Na época, acusavam estes, de serem bonificados para “agitar as bandeiras” onde as caravanas eleitorais passavam. Estavam por toda parte, nas esquinas, praças, nas ruas. No meio da disputa eleitoreira o argumento era um dos carros chefes para dar descrédito as massas que apoiavam a chapa pura do PMDB. Agora, três meses após o início da gestão de Beto Passos, a prefeitura se utiliza do mesmo dispositivo da lei e concedeu adicional de 30%, retroativo a março, a 74 funcionários do poder municipal. A dúvida que fica é se o argumento que as bases (antes opositoras) usavam, ainda é o mesmo: “É pra agitar as bandeiras”? Apesar de ser um pouco cômico imaginar que o mesmo dispositivo seja usado, nem Faria, nem Passos pagaram e pagam os 30% pra ver paninhos tribulando pelas ruas. Trata-se, na verdade, de um adicional para os funcionários que devem se dedicar integralmente as funções que exercem.  A lei garante a gratificação desde 1990. Segundo o texto “considera-se regime de tempo integral o exercício de atividade funcional em que o servidor permaneça a disposição em qualquer horário, fora da jornada de trabalho, tendo em vista a essencialidade, complexidade e responsabilidade das respectivas atribuições”. Por isso, como fez Passos no ultimo dia 28, quando a decisão foi publicada no diário oficial dos municípios, os “bônus” foram concedidos a cargos estratégicos que auxiliam a gestão municipal em toda a integração e funcionalidade do sistema. Lá estão citados alguns médicos, enfermeiros, bioquímico, técnico de informática da educação, datilógrafo, motoristas, professores, agentes administrativos, assistentes sociais, que podem ter suas demandas todas executadas em expediente normal, mas que, eventualmente ou corriqueiramente (depende do caso e da demanda) terão de abrir mão de seu tempo particular para cumprir funções em nome da prefeitura e do município (motoristas da secretaria de saúde são exemplos mais fáceis de identificar em atuação fora do horário de expediente). Enfim, que fique claro: Os 30% nada tem a ver com apoio político ou porta bandeiras em campanha eleitoral. Vamos aprender essa lição, ela é importante. O que se precisa, na verdade, é que os 30% sejam gastos com quem efetivamente vá auxiliar o bom funcionamento da máquina municipal. Assim como fez Faria, Passos também tem que garantir que sua equipe esteja motivada para cumprir o seu trabalho, da mesma forma os servidores devem honrar a confiança que receberam do prefeito e devolver com qualidade o atendimento a população.

Falando em Cargos

Algumas bases de partidos que ajudaram a campanha de Beto Passos já estão descontentes com a gestão. O fato não poderia ser diferente: querem mais cargos. Gente, calma. 3 meses é pouco tempo. Com certeza quando Beto Passos começar a executar seu planejamento estratégico terá vaga para todo o pessoal capacitado em desenvolver a atividade.

Plano e Execução

Quem convive o dia a dia da prefeitura tem se impressionado como Passos tem se preocupado com gestão. Dizem que planejamento é uma palavra de ordem dentro do paço municipal.

Mudando de Assunto

Em visita a Canoinhas, o deputado federal Jorginho Mello (PR) anunciou a liberação de R$ 1 milhão para obras de segurança dos pedestres na BR-280, no trecho urbano em Canoinhas.

Jorginho

Ele já colocou seu nome a disposição do Partido da República para concorrer na chapa majoritária ao governo do estado em 2018. As reuniões que tem feito pelo estado já tem clima eleitoral. Como o PR abandonou Raimundo Colombo no ano passado, Melo tem muito discurso de oposição para queimar.

Evento

Neste fim de semana aconteceu o I Seminário Regional Sobre Natureza e Desenvolvimento. Excelente corpo docente nas mesas de discussão. O evento foi promovido pelo Programa de Mestrado da UnC Canoinhas no Auditório NUCISA em Marcílio Dias.

Senta!

'Meu recorde é R$ 35 milhões em um dia' do ex-executivo da Odebrecht Fernando Migliaccio da Silva, que confessou ser o responsável pelas entregas em dinheiro vivo do Setor de Operações Estruturadas - o departamento da propina - em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral na Operação Lava Jato.

Pra finalizar

 

Você sabia que com o orçamento previsto para manter o Congresso Nacional em 2017 seria possível pagar o salário de 320 mil professores durante 1 ano? Semana que vem conto mais desta história. Forte abraço e até lá.