Acabou o tempo

Publicada originalmente nos Jornais Ótimo e Diário do Planalto

Por Paulo Ricardo Ferreira 26/03/2017 - 12:09 hs
Acabou o tempo
Obras da ADR Canoinhas na SC 120

Sim, acabou o tempo em que os prefeitos da região poderiam culpar seus antecessores pela falta de organização ou atraso nas obras do desenvolvimento. Já estamos em março, diga-se de passagem, indo para o fim dele. Quem se organizou, parabéns, quem não se organizou que não venha de chorumelas.  Felizmente aquela narrativa de tentar fazer dos ex-prefeitos monstrinhos da administração se foi. Já parece que nossos nobres representantes locais estão, agora, mais preocupados com o desenvolvimento da cidade do que com o efeito midiático de notícias bombásticas e de pouca credibilidade. Ufa. Não aguentávamos mais. Afinal, se os senhores foram conduzidos aos cargos que agora ocupam isso significa que a população confiou no trabalho que podem render enquanto lideranças e não na sua vocação jornalística, para isso, já existem os jornais, sites, rádios e, de forma mais recente, as redes sociais. E olha que pelas redes a quebra de braço é grande. Uns defendem a gestão passada, outros são ferrenhos defensores da atual gestão (não sei se os defensores da atual gestão são tão necessários, afinal, com 3 meses de governo, dá pra dizer que ela está começando agora e em tese não precisaria de defesa porque estava tomando parte de como fazer a administração do município), mas enfim, a galera do “oba oba esse político é meu” está por lá, empobrecendo qualquer debate que se tente realizar a respeito das cidades. O que importa é que agora todos os prefeitos têm de mostrar TRABALHO e começar a cumprir suas promessas de campanha. Em Canoinhas, por exemplo, tem de começar a se discutir como se acabarão com as filas nos postos de saúde, como serão ampliados os atendimentos de especialidades, quais serão as empresas que se instalarão no município para atrair bons empregos na cidade. A gestão começou bem. Nas localidades do interior onde as patrulhas têm passado é só alegria. Os agricultores voltam a ter esperança que terão boas condições para escoar sua produção. A gente espera que o trabalho perdure pelos 4 anos e também que o prefeito tenha sorte, afinal, chuva demais atrapalharia os passos de Beto na prefeitura. Em Três Barras o prefeito tem no maior de seus desafios o desvio das cargas pesadas do centro da cidade. Lá os vereadores têm travado bons debates tentando encontrar uma solução. Além disso, precisa recuperar quase a totalidade da malha viária do município deteriorada pelo tempo e falta de manutenção. O prefeito, no entanto, começou bem também. A buraqueira na Avenida Rigesa já não existe mais. Ainda sim tem muita coisa pra fazer. Foi dada a largada. Vamos ver até onde os senhores aguentam correr. Eu espero que seja até 2020.

Deu Certo

A Agência de Desenvolvimento Regional vai mesmo repassar seu equipamento de manutenção para as prefeituras de Canoinhas e Bela Vista do Toldo, além de custear o diesel, para que ambas realizem a manutenção da estrada da Barra Mansa. Mais de 4 mil pessoas dependem do trajeto que volta e meia fica intransitável. Secretário Aloísio Salvatti teve de fazer uma verdadeira peregrinação em Florianópolis em busca da solução para a questão.

Inclusive

Tudo que depende do Governo Central em Florianópolis tem demorado. Sem recursos, os Secretários gerais tem apenas enrolado os representantes das ADR’s.

Mas Não se Enganem

Essa falta de dinheiro agora, provavelmente é um jeito de “economizar” para o ano da eleição. Milagrosamente - aposto com vocês – Raimundo Colombo colocará uma caravana de obras e “recursos” no ano que vem para garantir mais 8 aninhos de mandato. Vai querer ser Senador e não ter caixa no ano da eleição pode atrapalhar os planos do agora, governador. Bobo ele não é. Dinheiro vai ter.

PMDB

Falando no Governador, Mauro Mariani, deputado federal pelo PMDB e que almeja o cargo em 2018, esteve em Três Barras na última sexta-feira, 24. Ouviu a base e estmulou o aumento da atuação dos peemedebistas nas organizações e instituições da cidade. Foco total na eleição.

20 milhões

Há quem diga que BRF e JBS torraram em publicidade de sexta-feira, 24, passada, até a última terça-feira, 21, o montante de 20 milhões de reais. Ambas tentam reverter a imagem negativa que a Operação Carne Fraca causou em suas marcas.

O Temer é bocó?

Falando em Carne Fraca, o presidente da república, Michel Temer, levou embaixadores de vários países compradores de carne brasileira para comer em uma churrascaria de Brasília. O objetivo era mostrar que nossa carne é boa, confiável e de muita qualidade. O problema é que a churrascaria servia carne importada da Argentina.

Em Concórdia

Na cidade sede da BRF o clima durante esta semana era de velório. “A gente está apoiando, tentando confiar na empresa, mas é difícil com todo esse noticiário ruim a respeito”, me confessou a funcionária de um posto de combustíveis durante minha visita a cidade.

Efeito Cascata

A FRICASA Alimentos também deve ter queda nas vendas. Apesar de não estar citada em momento algum nas denúncias, o receio em comer carne que recai sobre a população vai afetar as vendas da empresa. Uma campanha de mídia também está sendo estudada.

Efeito Cascata 2

Fui a alguns mercados da cidade durante esta semana. Embutidos estão empilhados nas prateleiras. Várias pessoas têm olhado com muito receio para o produto. Os açougues também diminuíram a exposição de carne.

Eu particularmente

 

Continuo gostando de churrasco, frango, embutidos e afins. Mas confesso que dei preferência aos produtos de casa nos últimos dias e abandonei as “grandes” marcas. É isso, até semana que vem.