A Reunião da Reunião

Coluna Política em Rede - Publicada Originalmente nos Jornais Ótimo e Diário do Planalto

Por Paulo Ricardo Ferreira 19/02/2017 - 11:29 hs
A Reunião da Reunião
Raimundo Colombo, Governador do Estado de Santa Catarina

Desde que a crise começou a figurar entre os brasileiros, políticos de todo país estão imbuídos em distribuir desculpas ou apontar o monstro da falta de recursos, como se eles, não tivessem nada a ver com isso. Hoje proponho uma brincadeira. Vamos recordar e para isso, limitar-nos-emos ao estado de Santa Catarina. Em 2014, quando venceu a eleição, Raimundo Colombo (PSD), governador, falou que apesar das dificuldades, SC estava bem, mesmo com o país a beira de um dos maiores colapsos econômicos de nossa história recente. Naquela oportunidade Colombo previa que o estado teria de tomar medidas específicas para enxugar a máquina e garantir “ainda mais qualidade” nos sistemas de saúde e Educação. “Ano que vem será um ano difícil” avisava. Em 2015 (pra usar exemplos mais recentes a fim do exercício ficar mais legal) o então Secretário Regional de Canoinhas, Ricardo Pereira Martins, recebeu em sua sala na SDR, vários membros da imprensa. Naquela ocasião estava a promover um programa do Governo Chamado FUNDAM, mas, durante a conversa acabou por responder sobre a crise. Martin afirmou que conversou com o Governador e que apesar de ser um ano difícil SC não aumentou impostos, fez o dever de casa, economizando os recursos para investir em saúde, educação, infraestrutura e blá, blá, blá. Ainda em 2015, ao ensaiar a reorganização das SDR’s, Colombo voltou a repetir o discurso “vamos ter um ano difícil, mas não vamos aumentar impostos, fizemos o dever de casa”. Em 2016, em coletiva de imprensa em Mafra, desta vez ao vivo, Colombo garantiu “ano que vem será um ano difícil, mas SC não aumentou impostos, fez o dever de casa”. Já em 2017, mandou um de seus representantes ao Planalto Norte, César Souza, que mais uma vez “esse ano será muito difícil, mas Santa Catarina fez o dever de casa e não aumentará impostos” e assim a banda foi tocando até a última quarta-feira, 15. Através da Agenda do Governador foi possível saber que Colombo marcou uma nova reunião com os Secretários das, agora, ADR’s. Esta reunião é conhecida como Reunião do Colegiado e que deveria ser um cabide de ideias para promover o desenvolvimento de SC, mas acaba por se tornar a aula de decoreba do discurso do Governador para que os Secretários voltem com o texto na ponta da língua para suas regiões. Tudo pago com o dinheiro do contribuinte, vale ressaltar. O mais incrível nisso tudo é que Colombo ainda não sabe o que fazer. Para minha insatisfação, ao receber as informações do Governo, leio a seguinte frase: “Em encontro com o colegiado, governador pede equilíbrio fiscal, ressalta ano difícil e afirma que Santa Catarina não aumentará impostos”. Quase chorei. Tenho a sensação de estar lendo a mesma manchete há anos. De que tem adiantado manter um governo caro (só o gabinete do governador deve arrecadar mais de 150 milhões em 2017) se a região não pode ter a dignidade de ter uma rodovia estadual que preste? Se não pode ter HEMOSC? Se não pode ter os pagamentos ao Hospital e as Secretarias de saúde em dia? De que adianta gastar 150 milhões em 2017 só com o custo do Gabinete em Florianópolis se não vemos o governo mover uma unha para auxiliar o desenvolvimento das nossas cidades. O próprio Governador nem vem até Canoinhas. Mas você já sabe. Nesta sexta-feira, ao voltar do Colegiado, o representante do governo já saberá o que dizer: “é um ano difícil, mas SC fez o dever de casa e não aumentou impostos”. Enquanto isso, de reunião em reunião, marca-se uma nova, para gastar o dinheiro do dever de casa e se decidir, mais uma vez, que devido ao ano difícil, nada será feito.

Mais Números

Só em Fevereiro o Gabinete de Raimundo Colombo já gastou R$ 2.952.483,81 (dois milhões, novecentos e cinquenta e dois mil, quatrocentos e oitenta e três reais com oitenta e um centavos).

Gastaram Menos

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, responsável por atrair oportunidades e ajudar SC a sair da crise para que não se precise aumentar impostos, gastou em fevereiro: R$ 1.739.676,71 (Um milhão, setecentos e trinta e nove mil, seiscentos e setenta e seis reais com setenta e um centavos).

Com Segurança

O Governo de SC gastou em Fevereiro quase R$ 4 milhões. Saúde quase 70 milhões, Agricultura e pesca, 6 milhões. Infraestrutura quase R$ 4 milhões, Educação quase 6 milhões (em outros meses a despesa com educação é maior devido ao salário do Funcionalismo, que só entra na prestação de contas em Março).

Mudando de Assunto

Passou na Câmara de Canoinhas em Primeira e Segunda votação o projeto de lei que aumenta o valor pago aos médicos de sobreaviso. 2ª análise aconteceu na terça-feira, 14.

Ilustre

Nas Redes sociais várias pessoas se mostraram indignadas com a indicação de Ilustre para a pasta de Meio Ambiente. Reclamam que ele não tem experiência no setor. Dizem que o Prefeito Beto Passos não tem nada a ver com isso. A articulação foi do Pike e a indicação foi decidida pelo PP. Dizem...

Técnico

Mas, de qualquer forma, técnico Ilustre é. No comunicado emitido pela assessoria da imprensa da prefeitura consta que Hilário Kath, conhecido como Ilustre, tem 47 anos e é natural de Canoinhas e é Tecnólogo em Marketing Ambiental.

Pra encerrar:

 

O Presidente da Câmara de Vereadores de Canoinhas, Wilmar Sudoski (PSD), reservou um espaço ao fundo para que a imprensa possa realizar seu trabalho e montar seu aparato de equipamentos. Tem sido de muita utilidade. Resta-nos agradecer a nobre decisão. Forte abraço e até a próxima semana.